Nota em memória do padre Frans van der Lugt

Após 5 anos de seu assassinato, o jesuíta holandês ainda inspira a vida dos cristãos

Desde 1966, padre Frans der Lugt vivia na Síria, onde por várias vezes denunciou a falta de remédios e alimentos, além de pedir ajuda e buscar estabelecer acordos em prol de civis doentes, exaustos e famintos. Psicoterapeuta, dedicava-se também ao diálogo inter-religioso. Na década de 1980, fundou o projeto Al Ard (“a terra”), um centro de espiritualidade construído nos arredores da cidade de Homs que acolhia cerca de 40 crianças com necessidades especiais, provenientes de povoados vizinhos.

Em 9 de abril de 2014, o jesuíta, aos 75 anos, foi espancado e morto em frente à residência da Companhia de Jesus em Homs. Desde seu assassinato, muitas pessoas vão rezar em seu túmulo. Atualmente quatro jesuítas vivem na casa diante da qual Padre van de Lugt foi assassinado e onde está sepultado. Muitas pessoas vão rezar em seu túmulo. Embora as ruas e prédios ao redor da comunidade tenham sido seriamente danificados, os jesuítas organizam cursos de educação e centenas de jovens e adultos frequentam a igreja.

Fonte: Vatican News