Iniciativa Global de Educação bate meta dois anos antes do previsto

O objetivo do programa era propiciar educação a 250 mil refugiados até 2020

Em 2015, o Serviço Jesuíta aos Refugiados (JRS) lançou a Iniciativa Global de Educação (GEI) em resposta a um desafio colocado pelo Papa Francisco: “dar às crianças um assento na escola é o mais belo presente que você pode dar”, em relação a 13 milhões de pessoas que estão em situação de refugiados permanentes, considerando que a metade de todos os refugiados são crianças. Fato é que a campanha ultrapassou o objetivo de fornecer educação para 250 mil refugiados dois anos antes do esperado (2020). Para atingir esse objetivo, o JRS comprometeu-se a arrecadar $35 milhões de dólares. Até o final de 2018, 81% dos recursos já haviam sido arrecadados.

O sucesso da campanha permite proporcionar às crianças refugiadas um ambiente de aprendizado seguro e estável, além de oferecer mais ferramentas aos refugiados adultos. Isso garante que eles tenham acesso a oportunidades econômicas necessárias para construir um futuro suas famílias.

Os responsáveis pelo JRS explicaram que “quando uma população se muda para um lugar, devido a situações de emergência e especialmente após um conflito, a educação é fundamental para restaurar e promover o bem-estar, bem como para restaurar a comunidade”.

No nível global, em 2018, este serviço jesuíta ajudou 677.804 pessoas expulsas de suas casas devido a perseguição, guerra e desastres. O número de de pessoas deslocadas à força no início daquele ano era de 68,5 milhões de pessoas, dado que significa que o JRS ajudou uma em cada 100 pessoas no mundo que tiveram que fugir de suas casas em busca de segurança.

Fonte: OMPRESS-ROMA

Tradução: Pe. José Luís Fuentes, SJ