Encontro da Província do Brasil (BRA)


Jesuítas e leigos, de várias obras e regiões do país, se reunirão para refletir sobre temas importantes ao momento atual e compartilhar histórias de vida e missão. Para o Provincial, padre João Renato Eidt, “esse Encontro deverá ser celebrativo e em ação de graças. Faremos memória dos passos dados, agradecendo a Deus os resultados alcançados no cumprimento da missão que a Igreja e a Companhia de Jesus nos confiaram. Privilegiaremos os momentos de partilhas em grupos por se tratar de uma ocasião para contemplarmos quem e quantos somos; os lugares onde estamos e como atuamos. A reflexão e oração prévia das Preferências Apostólicas Universais da Companhia servirá de inspiração e motivação para vivermos e participarmos bem do Encontro como província”.

O Encontro da Província do Brasil 2019 começará às 8 horas, dia 24 de julho, com um momento de oração comunitária, apresentação dos participantes e palavra de abertura do Provincial. No mesmo dia haverá uma apresentação com o padre jesuíta Claudio Paul, Assistente Regional da América Latina Meridional, para falar sobre as Preferências Apostólicas Universais da Companhia de Jesus.

Durante o Encontro, os jesuítas que fizeram lançamentos de publicações recentemente terão espaço para apresentar e compartilhar suas produções com os participantes.

O dia seguinte (25) se inicia com a conferência Repercussões de abusos de menores e pessoas vulneráveis e as implicações na vida e missão da Companhia de Jesus, que será ministrada pelo padre jesuíta Cristian Del Campo, Provincial do Chile. Outro momento importante, neste dia, será a apresentação e o lançamento oficial do documento Política de Proteção de Menores de Idade e Pessoas Vulneráveis – Para exercer um ministério sadio, transparente e digno, realizado pela Província do Brasil.

Na sexta-feira pela manhã (26), Dom Erwin Kräutler, Bispo Emérito de Xingu (PA) e Vice-Presidente da Rede Eclesial Panamazônica (REPAM), apresentará a conferência A Amazônia: Sínodo e perspectivas de missão como preferência apostólica. Serão pontuadas as principais pautas previstas para o Sínodo da Amazônia, além de reflexões sobre a ecologia integral e os povos originários.