1º Encontro da Província do Brasil 2019 reúne jesuítas e leigos


Jesuítas e leigos estão reunidos no Mosteiro de Itaici, em Indaiatuba (SP), para o primeiro Encontro da Província do Brasil 2019. Durante três dias, de 24 a 26 de junho, cerca de 340 participantes refletirão a missão da Companhia de Jesus como Corpo Apostólico, sendo orientados por três grandes temas: as Preferências Apostólicas Universais, a Política de Proteção de Menores de Idade e Pessoas Vulneráveis e Amazônia: Sínodo e Ecologia Integral.

Na manhã desta quarta-feira (24), o encontro foi iniciado com um momento de Oração Coletiva. Em seguida, o Provincial, padre João Renato Eidt, deu boas-vindas aos presentes. “Estamos aqui reunidos por razões muito importantes. E a razão mais importante é o próprio Senhor que nos chamou, Ele que nos guia. É por causa Dele que queremos conviver, agradecer e também renovar o nosso espírito como Corpo Apostólico, jesuítas, leigos e leigas que trabalhamos a partir do carisma inaciano”, afirmou o Provincial, acrescentando: “Que seja um encontro celebrativo e de ação de graças”.

Após a abertura do encontro, padre Francis Silvestrini, professor da FAJE (Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia), e Lucimara Trevizan, diretora executiva do Centro Loyola de Belo Horizonte (MG), conduziram o momento de Memória Agradecida pelos 470 anos da chegada dos jesuítas ao Brasil e também pelos 4 anos e 8 meses da criação da Província do Brasil, refletindo sobre a caminhada trilhada durante esse período e o futuro da missão. “Nós pertencemos a uma história que nos precede há muito e somos também agentes, que estamos preparando a história, que, se Deus quiser, outros virão por muitos anos. Então, que essa memória tenha a memória remota, do presente e do futuro, o que sonhamos e construímos juntos”, ressaltou o jesuíta.

Na sequência, o padre Claudio Paul, assistente Regional da América Latina Meridional da Companhia de Jesus, discorreu sobre as Preferências Apostólicas Universais, o que a Ordem religiosa deseja alcançar por meio dela e quais os desafios que elas trazem. O jesuíta falou também da importância da colaboração, pois todos somos colaboradores na missão de Cristo. “Não é uma questão de encaixar as Preferências Apostólicas em nossos cotidianos, mas devemos nos perguntar onde queremos chegar daqui a 10 anos, sendo animados, focados e estimulados por essas preferências da Companhia”, afirmou padre Claudio Paul.

Após o almoço, os participantes dividiram-se em 30 grupos de trabalho para discutir e refletir sobre as apresentações realizadas no período da manhã. Na sequência, as conclusões dessas conversas foram apresentadas a todos em sessão plenária. O dia foi encerrado com uma celebração eucarística.