Fé e Alegria apoia evento de empoderamento de meninas


No dia 12 de outubro, o evento #SuperMeninas uniu jovens e adolescentes para debater temas ligados à igualdade entre homens e mulheres no Colégio São Luís, em São Paulo (SP). Realizado com o apoio da Fundação Fé e Alegria, movimento de educação popular e promoção social, o encontro teve por objetivo lembrar o Dia Internacional da Menina, comemorado em 11 de outubro.

O evento #SuperMeninas foi conduzido pela Girl Up, movimento global da ONU (Organização das Nações Unidas) presente em 90 países que inspira e empodera meninas, posicionando-se pelo combate ao abuso sexual infantil, ao casamento precoce e à dificuldade ao acesso à educação. A coordenadora do projeto, Letícia Bahia, esteve presente no encontro e destacou que missão do Girl Up é transformar meninas em protagonistas: O que pode ser mais efetivo do que colocar meninas como ativistas para atuar pela causa das próprias meninas? Começamos a sensibilizá-las mais cedo em relação a questões de desigualdade e, quando elas estão na linha de frente, é muito melhor”.

O evento foi aberto ao público e, inclusive, contou com a presença de um grupo de jovens educandas da Fundação Fé e Alegria da unidade de Grajaú, bairro da zona Sul de São Paulo (capital). Algumas estudantes do Colégio São Luís também entrevistaram os palestrantes.

Nina Guzzi Diament, estudante do 9º ano da escola Carlitos e participante do Coletivo “Elas Vivem”, cujo como foco é a sustentabilidade e protagonismo da mulher, participou ativamente do encontro. Essa possibilidade de mulheres e jovens meninas se unirem para algo maior é uma coisa que surpreende, porque, certamente, há 100 anos isso não seria possível. Então, nossa ideia é abrir muitas portas para meninas que estão crescendo e que ainda vão descobrir que elas fazem diferença no mundo”, ressaltou a adolescente.

Durante o evento, foram debatidos os seguintes temas:

Relacionamento abusivo

Valéria Scarance, promotora de Justiça especializada em violência contra a mulher, e Mafoane Odara, mestre em Psicologia e gerente do Instituto Avon, falaram sobre como identificar relacionamentos abusivos e destacaram os 13 anos da Lei Maria da Penha que aprimorou o combate à violência contra a mulher no Brasil.

Durante a conversa, a jurista apresentou sua cartilha Namoro Legal, elaborada em parceria com o Ministério Público do estado de São Paulo. O material, voltado para jovens e adolescentes, conta com orientações para perceber sinais de condutas abusivas e como proceder diante de uma relação tóxica.

Masculinidade tóxica

O jornalista e coordenador do projeto “O Silêncio dos Homens”, Ismael dos Anjos, debateu sobre os principais comportamentos masculinos que podem se tornar nocivos e afetar a saúde mental dos homens, tornando-os violentos em muitas das vezes. O jornalista citou que, segundo pesquisas, 60% dos homens possuem algum tipo de transtorno psicológico, porém, apenas um a cada 10 homens busca ajuda profissional.

Jovens e política

Visando desmistificar a política e explicar sobre a rotina de um gabinete parlamentar, Mônica Seixas, co-deputada estadual, e Marina Bragante, psicóloga e chefe de gabinete da deputada Marina Helou, buscaram aproximar e despertar a atenção dos jovens para a importância da política.

Homofobia

A youtuber Jessica Tauane, criadora do Canal das Bee, promoveu um debate sobre questões voltadas ao combate de homofobia e citou a importância do acolhimento de pessoas da comunidade LGBT+ em situações de vulnerabilidade social.